Singles

50 dias em Casa

(TRATORE, 2020)

Capa para o single 50 dias em casa.jpg

A canção foi composta pela cantora e compositora Luiza Borges durante a quarentena de 2020, em seu quinquagésimo dia de isolamento. 

O single foi gravado nas casas de cada artista envolvido na faixa e todo o processo foi concebido, executado e gerido remotamente.

Álbuns

Certezas Inacreditáveis

(BOLACHA DISCOS, 2017)

certezas.jpg

"Produzido pelo baixista Tássio Ramos, sob direção musical do violonista André Siqueira, o álbum Certezas Inacreditáveis chega ao mercado fonográfico cinco anos após o primeiro álbum solo da cantora, Romanceiro (Bolacha Discos, 2012). Com sonoridade fora da curva, tal como o anguloso cancioneiro do disco, Certezas Inacreditáveis culmina com o revival de Tempo rei, filosófica canção de Gilberto Gil (...). Sim, Luiza Borges tem voz própria." - Crítica de Mauro Ferreira. Leia mais aqui! 


"Não é só São Paulo quem ostenta um elenco de novos criadores afiados que renovam a MPB, mesmo sem possibilidades de chegar à grande mídia, ocupada – salvo raras exceções – pelo comercial rasteiro. Gravado através de financiamento coletivo de nada menos de 150 apoiadores, “Certezas inacreditáveis” (Embolacha), o segundo CD solo de Luiza Borges (...) desvela um painel da efervescência estética carioca." - Crítica de Tárik de Souza. Leia maiS aqui

Certezas Inacreditáveis foi gravado no estúdio Lontra (RJ) em junho de 2016, por João Ferraz, mixado por Henrique Vilhena e masterizado por Luiz Tornaghi. Conta com o afiado trio formado por André Siqueira (violões e guitarras), Tássio Ramos (contrabaixo) e Pantico Rocha (bateria) como banda principal e tem participação de grandes músicos: Carlos Malta (sopros), Denize Rodrigues (sopros), Ivo Senra (sintetizadores), Rodolfo Cardoso (bateria ), Luiz Augusto, Bernardo Aguiar e Marcello Teixeira (percussões), Bernardo Diniz (cavaquinho) e André Geiger (baixo acústico). 

Romanceiro

(BOLACHA DISCOS, 2012)

romanceiro.jpg

Romanceiro, o primeiro álbum de Luiza Borges, foi indicado ao 24° Prêmio da Música Brasileira e conta com a  produção musical de Renato Frazão e a direção musical de André Siqueira. O repertório leva a seus ouvintes uma seleção de músicas inéditas pinçadas no cancioneiro de novos compositores cariocas. Nele se saúda as forças da natureza e do brasileiro, o sincretismo religioso e os ritmos típicos do Brasil explorados em novas poéticas.


Sobre Romanceiro, João Bosco disse: "Oi Luiza, ouvi o seu disco e gostei muito. Você está cantando firme, segura e bonito. Está muito bem acompanhada, gostei muito do violonista, principalmente em ‘Chovendo na Roseira’ onde a atmosfera do violão é quase ibérica. Gostei também do jeito que você gravou ‘Terreirro de Jesus’. Bem pra frente, animando o espaço. Parabéns e sucesso pra você!” 

O álbum foi gravado no estúdio Cia. dos Técnicos (RJ) entre maio e junho de 2011 por Fabrizio de Francesco, mixado e masterizado pelo mesmo.

Tendo André Siqueira (violões e guitarra), Tássio Ramos (contrabaixos) e Geórgia Câmara como banda principal, traz a participação de grandes músicos como Nelson Faria (guitarra), Carlos Malta (sopros), Rodolfo Cardoso (marimba),Edu Morelenbaum (clarinete),  Marcelo Caldi (acordeon), Pedro Mibielli (violino), Pedro Monteiro (cavaquinho) e Luiz Augusto (percussões). Conta ainda com as vozes de Renato Frazão, Leandro Vasques e Débora Braga.

Leve o Porto - Mulheres que cantam Pedro Ivo

(TUMDUM, 2010)

leve o porto.PNG

Preciosa coletânea concebida por Pedro Ivo e pela produtora Parabelo Cultural,  gravada em 2010, no estúdio TumDum e lançada em 2011 pela Tratore.

"Leve o Porto - Mulheres que cantam Pedro Ivo" conta com a voz de Luiza Borges, Karla da Silva, Pati Oliveira, Aline Paes e do próprio Pedro Ivo.

 

Traz ao público canções deste brilhante cantor e compositor.

A produção musical é de Pedro Ivo, Renato Frazão e Guilherme Marques e o álbum conta com poderoso trio como banda principal: André Siqueira no violão, Tássio Ramos no contrabaixo e Geórgia Câmara na bateria, além de contar com participações especiais como Kiko Horta, no acordeon.

As músicas "Vá ver", "Quando o lampião apaga" e "O poeta e a canção" são sensivelmente apresentadas pelas personalidades de Luiza e Pedro.