Dezembro de 2017. Música que é poema, poema que nasceu música....

 

A delicadeza é uma destreza
que nem todos sabem distinguir.
Cobrará seu preço,
dará recomeço
para o coração que insistir
na doçura.
A bravura de amar na sutileza
é a cura pro vagar que a tristeza
impele
e a alma infere a si.

A delicadeza pode viver presa
sem que a gente saiba perceber.
Pulsa na metade para que a verdade
segure no medo de perder
a doçura
não garante ao amor toda a firmeza.
O amor está acima da beleza pura,
a feiúra deve entrar

quando a dor quiser guardar
o que há pra se mostrar.